A Gestão da Procura em Ambiente de Mercado

Humberto Jorge1,2; A. Gomes Martins1,2

1 Dep. Eng. Electrotécnica da FCTUC

Polo II da Universidade de Coimbra

3030 Coimbra

E-mail: hjorge@dee.uc.pt

2 INESC – Coimbra

Rua Antero de Quental, 199

3000 Coimbra

 

Resumo

 

A desregulação no sector da indústria eléctrica e a correspondente competição no mercado da energia têm concorrido para que haja algum debate quanto à continuação da aplicação de programas de gestão da procura (DSM), incluindo de controlo remoto de cargas (CRC). No novo ambiente de crescente liberalização de acesso às redes, em que pode deixar de haver clientes cativos, o distribuidor tem de estar vigilante sobre os preços e as condições da concorrência. Os programas de LM, quando concebidos adequadamente, poderão ser mutuamente vantajosos para o consumidor e para o fornecedor e, nessas condições, serão um instrumento efectivo das distribuidoras para agirem em ambiente competitivo, sem desvirtuar a vantagem potencial de abaixamento do preço médio do kWh visto pelos consumidores. Para isso, os fornecedores terão de receber os estímulos correctos para verem vantagens na implementação de programas de LM, o que pressupõe uma regulação tarifária adequada.